“A Mãe Está Na Zona!” – by Michel Serdan #87

Em 1963 ou 64, sei lá, resolvi fazer um personagem mascarado que foi batizado com o nome de “Mister X”. Lutou na TV Tupi, TV Excelsior, e os apresentadores e narradores de então davam a entender que Mister X era um médico de família rica que não aceitavam o filho envolvido com lutas. Pobre de mim!

Certa vez, Mister X foi escalado para um show em Santa Fé do Sul e faria a última luta contra o Gigante Carioca, 2 metros de altura, 120kg, Luizão Monobloco (homenagem a um modelo novo de ônibus na época). Era em uma quadra de futebol de salão, lotada, todos em pé. Em frente ao ringue tinha um banco onde sentavam uns seis graduados de uma academia de judô da cidade. Me lembro muito bem de ouvir o apresentador, um locutor da radio local chamando “Luizão Monobloco”, em seguida a gritaria do publico. Luizão era um “basão” incrível. Em seguida chamou o misterioso Mister X. Saí do quartinho que servia de vestiário já dando de cara com o publico, muitos aplausos. Caminhei até o ringue, parei ao lado do banco dos judocas, acenando em retribuição ao carinho do publico, quando escutei alguém do banco, um dos judocas falando com o companheiro ao lado: – “Sabe porque esse cara luta mascarado?”. Antes que o outro respondesse, completou: – “É porque ele tem a mãe na zona e tem vergonha”. O banco riu e eu continuei e subi no ringue. No que o apresentador estava chamando o juiz da luta, caiu a ficha e fiquei muito puto. Desci do ringue, fui até o banco, dei um murro na cara do atleta, ainda rindo, que caiu de costas. Arranquei os outros aos chutes e pontapés, depois saí correndo em direção ao vestiário. Tranquei a porta, arranquei a mascara, vesti minha roupa, saí pela porta dos fundos e consegui misturar-me à multidão, e, por umas 2 horas procuramos o mascarado.

Minha mãe na zona hein?! Credo!
Se pelo menos fosse na “CASA DA ENY” em Bauru, onde só entravam políticos e fazendeiros, ou se fosse a mãe do idiota da história de ontem…
Abraços!!!

 

Deixe uma resposta